30/07/2016

AS CRIANÇAS E O SUCESSO NA COXILHA NATIVISTA 2016 EM CRUZ ALTA

Crianças encantam festival com as apresentações na Coxilha Piá
Noite foi de definição das canções classificadas para a grande final

O Ginásio Municipal esteve lotado na terceira noite de festival para acompanhar as dez músicas classificadas para a grande final neste sábado. O público presente na 36ª Coxilha Nativista pode acompanhar também o encanto das novas vozes do cenário nativista na 32ª Coxilha Piá.

As crianças de até 13 anos abriram a noite dessa sexta-feira, 29, e encantaram a plateia com dez canções consagradas. Quem esteve acompanhando a coxilha piá não se esquecerá tão cedo das grandes interpretações destes jovens da música nativista. Se em tamanhos os artistas ainda são pequenos são enormes os potenciais apresentados para um público que vibrou com os jovens cantores.

As apresentações da Coxilha Piá foram avaliadas pelos jurados Emerson Martins (São Vicente do Sul), Fernando Carvalho (Cruz Alta), Zé Renato Daudt (Porto Alegre), Paola Matos (Santa Maria) e Fernando Saccol (Rosário do Sul).

 A vencedora foi à música El Bocal, interpretada por Maria Alice (Santana do Livramento) de 11 anos.

Logo após o hino rio-grandense interpretado pela jurada Paola Matos a Coxilha prestou uma homenagem à família de Jorge Missioneiro, um das grandes figuras do meio nativista. O evento contou ainda com a apresentação do grupo de dança Chaleira Preta.

Os jurados definiram assim, as dez canções que retornam ao palco da Coxilha Nativista hoje, 30. (Confira abaixo as classificadas).


Confira os vencedores da 32ª Coxilha Piá:
El Bocal
Intérprete: Maria Alice (Santana do Livramento) - 11 Anos

De Cruzada
Intérprete: Luís Arthur Seidel Souza (Guaíba) - 12 Anos

Pandorga
Intérprete: Marina Furtado Leal (Viamão) - 12 anos


Fonte: Facebook da 36ª Coxilha Nativista

29/07/2016

ARMDT - ASSOCIAÇÃO DOS RECICLADORES DE TUPANCIRETÃ CADA VEZ MELHOR

 
Depois de no minimo 15 anos de trabalho, luta e articulação os recicladores que em outras décadas eram chamados de "lixeiros" avança dia a dia em nossa cidade e que já passa a ser visto e apoiado pela comunidade com a sua identificação diária "camiseta, jaqueta ou jaleco verde".
    Depois de um trabalho permanente e em conjunto envolvendo a Prefeitura de Tupanciretã através da SMMA, da UNICRUZ através do Projeto Catador e da ARMDT através dos Catadores e     Catadores de materiais recicláveis esta em pleno funcionamento.
    Esta importante ação para o município de Tupanciretã esta inclusa no PMSB - Plano Municipal de Saneamento Básico que esta na fase de prognóstico e descrito no RECICLIM programa municipal que trata da gestão dos resíduos gerados no município.
   A Unidade RECICLIM 1 esta localizada na Rua Dr. Volmar - Bairro Antonio Augusto de Oliveira Terra também conhecido como bairro popular construída de uma forma tripartite (Municipio, Unicruz e Petrobras ambiental), prédio com toda a infraestrutura - (escritório, cozinha, banheiro (M) e (F), espaço para recepção, separação, prensagem e armazenagem dos itens coletados bem como o conjunto de equipamento (prensa, balança e picotador de papeis) numa estrutura quase completa para que os associados tenham qualidade de vida, gosto e satisfação pelo que estão fazendo.
   Ontem 28 de julho a SMMA já de posse do veiculo VAN recebida do Tribunal de Justiça deu o seu apoio a coleta das quintas feira e no dia 29/07 a ARMDT fez a sua mais venda de material até o momento aonde venderam 7.000 Kg (papel, plásticos e alumínio) resultado divido proporcional ao trabalho de cada associado.
  A ARMDT que tem um bom numero de sócios aonde estão inclusos alguns morados do Abacatu próximos ao antigo "LIXÃO", hoje desativado em definitivo". A ARMDT funciona de segunda a sexta sem fechar ao meio dia recebendo e coletando materiais secos recicláveis.
  O município está preparando uma 2ª unidade pera abrigar o ECOPONTO próximo a esta unidade e assim ampliar a recepção, separação e destino  itens possíveis para reciclagem.
  Vejam os últimos registros:









Todo material residual (sobras) que não é utilizado é juntado diariamente e destinado ao aterro em Santa Maria e assim o local fica limpo e isento de vetores.












27/07/2016

RIO GRANDE DO SUL NAS TELAS DA INGLATERRA ATRAVÉS DO BOM CHURRASCO GAÚCHO

Olha só uma passagem francesa por Bagé e Dom Pedrito como o aval de Walter Juarez Mattos


O CICLISMO EM TUPANCIRETÃ E A BUSCA DE COMPROMISSO NA CAMPANHA ELETIVA 2016



O que é
Em 2016, serão eleitos prefeitos e prefeitas e também vereadores e vereadoras da todas as cidades brasileiras. É um momento importante, no qual todos os setores e interesses sociais estarão dialogando e buscando influenciar as políticas futuras das nossas cidades. Nessa lógica, os ciclistas precisam aproveitar esta oportunidade para que os planos de governo dos candidatos contenham propostas direcionadas para a bicicleta como meio de transporte/mobilidade.

Além disso, uma campanha Bicicleta nas Eleições contribui para que as organizações de ciclistas adquiram mais experiência em participação política, clareiem para si mesmo as demandas locais e se tornem mais conhecidas pela sociedade.

Por isso, a UCB – União de Ciclistas do Brasil elaborou e propõe o desenvolvimento da campanha Bicicleta nas Eleições nos municípios brasileiros. Ela é baseada em experiências exitosas anteriores que foram executadas em cidades como São Paulo/SP e Curitiba/PR, bem como na campanha com os candidatos à presidência da república em 2014.

Basicamente, a Bicicleta nas Eleições consiste na elaboração de propostas para serem entregues aos candidatos e candidatas, na comunicação com a imprensa, na busca de apoio de organizações sociais e na sensibilização dos eleitores – tudo de acordo com a capacidade de atuação local.

Para desenvolvê-la, a UCB fornecerá assessoria gratuita para todas as organizações interessadas: proposta de metodologia, modelos e exemplos de atividades, materiais de apoio, orientações para comunicação social etc.


Quem faz
A Bicicleta nas Eleições é uma campanha da União de Ciclistas do Brasil – UCB, associação que possui uma trajetória de oito anos de atuação pela garantia dos direitos dos usuários da bicicleta e que, em parceria com organizações locais, realiza atividades, campanhas e projetos que visam promover o modo de deslocamento como pleno meio de transporte, lazer e esporte nas regiões urbanas e rurais.

Fruto de um projeto elaborado no âmbito do GT Políticas Públicas da UCB, responsável pelo debate e encaminhamento de ações relacionadas a políticas públicas brasileiras para a inserção da bicicleta no sistema de mobilidade urbana, ela recebeu financiamento do Banco Itaú. Sua Coordenação Geral é composta por Coordenação de Articulação, Coordenação de Comunicação e Coordenação de Campanha, encarregadas de oferecer assessoria às organizações que desenvolvem a campanha nas suas respectivas cidades.

Você e sua organização (associação ou coletivo de ciclistas etc.) também pode se associar à UCB e participar da composição das ações pensadas e desenvolvidas para a mobilidade urbana. Associe-se e fique por dentro.


Quais as responsabilidades
Para o desenvolvimento da Campanha, a UCB oferece assessoria gratuita e diversas ferramentas, mas as organizações participantes também têm suas responsabilidades. Clique aqui para conhecer as atribuições da UCB e das organizações participantes.


26/07/2016

TUPANCIRETANENSE VAI A FRANÇA EXPOR E MOSTRAR O HUMOR GAÚCHO


Xiru Lautério e Byrata, seu criador, no 4° Festival do Rio Grande do Sul em Paris 
  A Association Sol do Sul é uma associação sem fins lucrativos estabelecida na cidade de Paris desde 2003 e tem como objetivo promover e divulgar a cultura, o turismo e oportunizar novas aberturas comerciais do Sul do Brasil, notadamente o Estado do Rio Grande do Sul, na França e na Europa. Sol do Sul organiza e realiza desde 2013 o Festival do Rio Grande do Sul de Paris, que tem tido bastante sucesso e vem crescendo a cada ano e este ano realizará a 4ª edição do festival, que ocorre de 22 a 25 de setembro de 2016. O evento conta com varias atividades como: filmes, exposições de fotos, participações de cartunistas, palestras, apresentações artísticas, dança, música, gastronomia, espaço dedicado para exposições e venda de livros, cantinho decorado tipicamente a moda gaúcha, espaço para promoção turística das regiões e também será realizada a Caminhada Farroupilha, que está em sua 3ª edição este ano. Uma das atrações convidadas este ano é nada mais nada menos do que o Xiru Lautério, personagem genuinamente gaúcho, tido como “O PERSONAGEM MAIS BAGUAL DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS BRASILEIRAS”, e estamos empenhados em fazer presença por aquelas plagas europeias aproveitando a oportunidade única de divulgar e difundir nossa cultura, através dos quadrinhos gauchescos do Xiru, criados e desenvolvidos pelo seu criador, o Byrata. Para bem representar nosso querido Rio Grande e a sua região central, pretendemos levar uma exposição de trabalhos com a temática gaúcha e imagens que se destacam na obra do Xiru, além da publicação da revista em quadrinhos Xiru Lautério e Os Dinossauros – Primeira Parte, traduzida para os idiomas Francês, Espanhol e Italiano. Esperamos assim fazer jus ao honroso convite e também fazer bonito no Festival.

A Exposição HUMOR BAGUAL Byrata reúne nesta exposição, suas ilustrações, cartuns e quadrinhos que mais gosta, aproveitando as comemorações da semana farroupilha para homenagear de forma bem humorada o gaúcho e suas tradições. São trabalhos publicados ao longo da carreira do artista, que caracterizam melhor seu estilo

A publicação Serão três revistas com as características: Titulo: Xiru Lautério e Os Dinossauros I (traduções para francês – espanhol – italiano) 300 exemplares de cada edição/tradução - 48 páginas + capas / Formato: 21x30 cm Capa colorida (4x4), miolo preto e branco (1x1)


Xiru e os dinossauros I 
O conteúdo Dois temas importantes e com abrangência de interesse universal fazem parte deste enredo: a Formação de Desertos no Rio Grande do Sul e os Dinossauros e Répteis do Período Triássico no Rio Grande do Sul, cujos fósseis são encontrados em abundância na Região Central de nosso estado, principalmente em Santa Maria, considerada o berço mundial dos dinossauros. Através de uma história de humor e ficção, Byrata provoca o leitor à reflexão sobre esses temas importantes e sempre atuais, garantindo também o interesse pela leitura desse episódio em que o Xiru, herói tipicamente gauchesco ganha força e vitalidade, sempre na busca pela criação de um personagem genuinamente brasileiro.
A publicação do Xiru Lautério e os Dinossauros, além de significar a realização de um sonho antigo do autor, também, chama atenção, para as inúmeras possibilidades que os temas abrangendo paleontologia e pré-história sugerem, como fonte de inspiração para a realização de projetos turísticos, culturais e de entretenimento e lazer. 

Byrata Lautério
A apresentação* A ligação entre o criador e a criatura é tema para lá de recorrente em todas as áreas da criação artística, e no caso do Xiru Lautério e Byrata, não poderia deixar de ser. O mais difícil é estabelecer os limites da realidade e da ficção nessas duas entidades. Xirú Lautério pode ser visto como a dimensão ¨real¨ do autor. Por outro lado, o Byrata no seu cotidiano, poderia ser visto como um viés da versão ¨ficcional¨do Xiru. Ou seria o contrário? A simplicidade é qualidade dos dois, assim como a grande capacidade de envolver através das histórias vividas e projetadas a partir do conhecido e do imaginado. Byrata, um exímio quadrinista e um homem com profundo sentimento de apego à cultura rio-grandense, o resultado está aí, a quadrinhos vistos. O Xiru, com seus causos, ficará na história dos quadrinhos gaúchos e do regionalismo brasileiro. Numa época em que, ainda, falar das coisas distantes é mais chique e dá mais ibope, Byrata insiste em mostrar que a nossa cultura é suficientemente rica e que produzir a partir dela, traz uma contribuição verdadeiramente mais autêntica a nós leitores. 
* Apresentação da 1ª edição do XIRU LAUTÉRIO E OS DINOSSAUROS I, feita pelo cartunista e professor da UFSM, Maucio (Mario Lúcio Bonotto Rodrigues). O Xiru Lautério – O personagem Xiru Lautério o personagem criado por Byrata, é quase triássico. Nasceu na década de 70 quando foi publicado em tiras semanais, nas páginas dos jornais O Semanário, de Tupanciretã e Diário Serrano de Cruz Alta. Em 1975, por iniciativa do autor, todas essas tiras foram reunidas e publicadas numa revista, impressa pela Gráfica Metrópole de Porto Alegre, com apresentação de Antônio Augusto Fagundes. Já na década de 80, o personagem voltou a ser publicado em tiras diárias no jornal A Razão, com o episódio Xirú Lautério Contra a Morte. Essa história gerou outra, intitulada
TIGRE N’ÁGUA – UMA AVENTURA NO RIO JAGUARI, e a aventura acabou virando uma saga que gerou mais dois episódios, XIRU LAUTÉRIO – O GINETE, publicado em 2015 e uma quarta parte, em fase de quadrinização, que finalmente completará a série. A história do Xiru e os Dinossauros foi concebida também há bastante tempo, mais precisamente no início da década de 90, quando seu autor tomou conhecimento da história dos fósseis encontrados em Santa Maria e região. Estimulado pela criação do Quadrinhos SA - Núcleo de Quadrinhistas de Santa Maria e com o surgimento do fanzine Quadrante X, publicação periódica do Núcleo, Byrata passou a desenvolver essa história em partes de 4 a 5 paginas cada uma. E aí está o Xiru Lautério as voltas com os dinossauros, coleção das tiras publicadas no Quadrante, apresentando a primeira parte dessa história que se completa com a publicação da segunda parte intitulada Xiru Lautério e Os Dinossauros II, publicado em português, em 2011, pela Editora Rio das Letras. 
Byrata: Jorge Ubiratã da Silva Lopes, o Byrata, nasceu em Santa Maria, em 1953 e viveu sua infância e pré-adolescência na fazenda Guabiju-Tujá, no interior de Tupanciretã. O convívio com as atividades rurais estabeleceu fortes vínculos em sua formação, influenciando em seu estilo de desenho e na temática de seu trabalho artístico, tornando-se a principal característica de sua obra. Não só nos quadrinhos, como em ilustrações e pinturas.
Byrata sempre sonhou e tem lutado pela valorização dos quadrinhos brasileiros, sendo um dos fundadores do Quadrinhos SA Núcleo de Quadrinhistas de Santa Maria. É integrante do Grupo de Risco, do qual fazem parte também os cartunistas Elias e Máucio e o escritor Orlando Fonseca, autores da revista Garganta do Diabo. Outros projetos fazem parte do currículo de Byrata, entre eles a co-autoria na publicação das revistas Quadrins e Nativismo (primeira do gênero no RS), na década de 80 em Santa Maria. Byrata é co-autor de mais um projeto que visa a valorização das coisas de nossa terra. O Projeto Dinotchê, criado em parceria com Abdon Barretto Filho, surgiu com o objetivo de utilizar a paleontologia como atrativo turístico e cultural, destacando a importância dos fósseis do Período Triássico em Santa Maria e na Região Central do Rio Grande do Sul. O personagem Dinotchê foi publicado em quadrinhos, e serviu como inspiração para o desenvolvimento de uma grande quantidade de produtos comercializados no Espaço Temático Dinotchê, que funcionou durante cinco anos na Vila Belga, em Santa Maria. Byrata recebeu importantes reconhecimentos em várias áreas entre elas a literatura e as artes gráficas, destacando-se os títulos de Patrono da Feira do Livro Infantil de Santa Maria – RS, em 2009. Em 2011 foi o cartunista homenageado do 8º Cartucho – Encontro de Cartunistas Gaúchos, em Santa Maria, e foi Patrono da Feira do Livro de Tupanciretã – RS,
em 2013. Também em 2013, por seu trabalho de mais de 30 anos atuando na produção de Histórias em Quadrinhos, Byrata foi reconhecido como Mestre dos Quadrinhos Nacionais, durante o 30º Troféu Angelo Agostini, conferido pela AQC – ESP Associação dos Quadrinistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo, e a 13ª Região Tradicionalista apresentou o trabalho: “Byrata e seu Xiru Lautério: Difundindo as tradições gaúchas através da literatura em quadrinhos”, no ENART, 14ª Mostra de Arte e Tradição. Em 2016, Byrata recebeu importante convite para participar do 4° Festival do Rio Grande do Sul de Paris, França, “juntamente com seus personagens Xiru Lautério e Dinotchê”, e é nesse projeto que Byrata está empenhado, para que possa está lá, representando com orgulho a cultura gaúcha

Este importante trabalho cultural, de resgate das coisas e fatos da nossa região com projeção e destaque interno e externo tem um custo aonde o Byrata se esforça para levantar os recursos necessários para esta sua participação na França e você pode patrocinar ou colaborar

Xiru Lautério, um personagem de HQ levando a cultura gaúcha para o mundo 
A participação do Xiru Lautério no 4ª Festival do Rio Grande do Sul de Paris é mais um passo na jornada gaudéria desse personagem que tem levado o nome do Rio Grande do Sul e sua cultura para tantos lugares do planeta, através de seus fãs que carregam suas publicações em suas bagagens e as exibem orgulhosamente em fotos, diante de monumentos históricos e culturais em diversos países. A presença do Xiru nesse evento contribuirá ainda mais para divulgar nossa cultura, através da linguagem universal dos quadrinhos, na França e Europa, onde estará também divulgando nossa região, com seus potencias turísticos, comerciais e culturais. 
Contatos: byrata@hotmail.com 55 9622 2545 / 3026 7523

Fonte: Jornal A Voz do Jari - Julho 2016

25/07/2016

1ª RUSTICA CIDADE DE TUPANCIRETÃ - UCR (União dos Corredores de Rua de Tupanciretã)

  Em evento organizado pela UCR através do idealizador e incentivador Matheus Ehlers foi realizado com sucesso a 1ª Rustica de Tupanciretã envolvendo crianças, jovens e adultos de ambos os sexos que percorreram entre100 mts até 5 km com classificação e premiação aos primeiros colocados. A Lagartus fez a cobertura fotográfica.